História

Formação sócio espacial do município de Anajás

Os primeiros habitantes da cidade de Anajás foram os índios Inajás, com variações de nome: Anaia, Ania e como é mais conhecida Inajá. O nome Anajás surgiu em função de existir grande quantidade de inajazeiros (maximilianamaripa), uma árvore que fornece pequenos cocos oleaginosos, de terrenos secos e arenosos.

Frente parcial da antiga Anajás-PA

Na conquista do Marajó a tribo que mais resistiu à conquista armada foi a dos Anajás (que pertencia ao grupo dos Nheengaíbas) que possuía índios muitos arredios, que enfrentaram e expulsaram a flechadas os primeiros colonizadores que faziam parte da missão empreendida pelo jesuíta João de Souto Maior, morto em seguida em expedição ao Rio dos Pacajás, em 1656.

A origem do município encontra-se no desenvolvimento da catequese que no período Brasil-Colônia, aonde os jesuítas sediados em Chaves estenderam suas missões para o interior da Ilha do Marajó. Coube ao padre Antônio Vieira penetrar a aldeia dos Anajás do topônimo indígena anajá- Inajá (palmeira). A cultura marajoara sobreviveu pelo menos até 1650, quando os portugueses tomaram definitivamente o controle da ilha.

O território de Anajás primeiro pertenceu ao Município de Chaves. A cidade, primeiramente denominou-se Mocoões, por se situar à foz do rio de mesmo nome, este, recebeu da presidência da província a categoria de freguesia, no ano de 1869, com, a invocação do Menino Deus do Rio Anajás. Em 1870, passou a pertencer ao município de Breves. A esta freguesia, para sua criação foi dado um terreno quadrangular medindo 400 braças de lado, em posses dos Srs. João Alves Monteiro, João Gonçalves dos santos e José Gonçalves dos Santos.

Rico Pela Própria Natureza
(por Rossimar Nóbrega)

No último dia 09 de abril de 2021, trabalhadores anajaenses comandados pelo Secretário de Cultura Alcides da Nóbrega Pinheiro Neto “Neto Pinheiro” encontraram vários artefatos de um Sistema de Encanação de água que provavelmente foi utilizado durante o período áureo da borracha na cidade de Anajás. Esse material foi encontrado enterrado em uma obra de reforma que estava sendo realizada no Posto de Saúde que fica entre a Prefeitura Municipal e o Mercado Municipal (O Posto de Saúde juntamente com a capela do Cemitério são os prédios mais antigos de Anajás, possuindo mais de 75 anos cada), pois trata-se de material de alta resistência fundido no fogo.

Devido a extensão da tubulação, calcula-se que o mesmo conectava o Prédio da Intendência Municipal as suas adjacências, locais com vários prédios de grande importância, incluindo a Igreja Católica. O material ficará soterrado, pois, no momento sua retirada é inviável, pois, causará danos aos prédios do Mercado, do Posto de Saúde e Prefeitura.

Preservar nossa História é garantir que gerações futuras possam desfrutar de Conhecimentos do passado, presente e futuro da humanidade.


Acessibilidade
Acessibilidade