Defensoria encerra Ação Cidadania em Anajás com mais de 3.000 (TRÊS MIL) atendimentos

0

Na última quarta (10) e quinta feira (11) foi realizado no nosso município a ação em alusão ao Dia Nacional da Defensoria Pública. Foram mais de 3000 (três mil) atendimentos realizados pelas equipes da Defensoria Pública, Propaz, Delegacia Regional do Trabalho, com a parceria do Ministério Público e da Comarca de Anajás, e do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

A população do município compareceu às ações e recebeu atendimento jurídico por parte dos defensores públicos, servidores e parceiros da Defensoria Pública do Estado do Pará, além da emissão de RG e Carteiras de Trabalho. A Ação também teve apoio da secretaria municipal de saúde, que disponibilizou alguns funcionários que realizaram serviços de Vacinação, emissão do cartão SUS (Sistema único de saúde) e verificação de pressão.

Nos dois dias de atendimento na cidade, foram realizados pedidos de segunda via de certidão de nascimentos, pedidos de divórcios consensual e litigioso, curatelas, orientações jurídicas, entre outros. O programa Pai Legal fez, nos dias 10 e 11 de maio, 106 atendimentos para investigação de paternidade. Foram feitos, igualmente, atendimentos na área criminal, como pedido de liberdade provisória, defesa e manifestação criminal. Ao todo, no dia 10 de maio foram realizados 1576 atendimentos e no dia 11, foram feitos 1625 atendimentos nas ações. Totalizando 3.201 atendimentos.

A prefeita de Anajás, Maria Jacy Tabosa Barros, em entrevista a Assessoria de comunicação da defensoria pública, destacou que a ação da Defensoria no município é de extrema importância, não só para a cidade, mas para as outras localidades próximas. “Anajás está geograficamente isolada e a população tem dificuldade de acessar aos programas básicos. E como a cidade não dispõe de defensor público, a ação veio trazer acesso à cidadania aos anajaenses”, confirmou.

A coordenadora da Regional Marajó da Defensoria Pública, com sede em Breves, Beatriz Reis, comemorou as ações neste primeiro porto. “Nós que conhecemos intimamente a realidade social do povo do Marajó ocidental, não poderíamos deixar de celebrar a iniciativa da Gestão que elegeu quem de fato mais precisa para ser atendido no mês que comemora o dia nacional do defensor”, argumentou. Segundo ela, a população participou ativamente das ações. “Em Anajás, uma das comarcas de mais difícil acesso no Estado do Pará, podemos sentir o entusiasmo com a chegada da Defensoria Pública e parceiros”, concluiu.

A família de Elisabel Aragão navegou 12 horas pelo rio Anajás até a sede do município para participar da ação. Moradora da comunidade de Alto Humaitá, ela comentou que ouviu pelo rádio informações sobre a ação e que não perderia a oportunidade de poder emitir a documentação dos filhos. “Meus filhos nunca tiraram a carteira de identidade e a minha menor, de nove anos, não tem certidão de nascimento. A ação é a chance dos meus filhos garantirem seus documentos”, declarou.

A nossa população, no segundo dia, pôde contar o apoio do juiz Arnaldo José Pedroza Gomes, titular da Comarca de Chaves e respondendo por Anajás, que participou das ações fazendo as audiências junto com a equipe da Defensoria Pública. “Em Anajás, primeiramente temos a questão do acesso e em segundo o IDH que influencia diretamente na população. Estou extremamente contente com a ação, porque onde o Estado está ausente, as coisas ficam em desordem. Esperamos mais ações como estas para que a população carente tenha o devido acesso à justiça”, pontuou.

O barco continua viajando pelo Marajó, para as próximas ações.

 

http://www2.defensoria.pa.def.br/portal/noticia.aspx?NOT_ID=3061

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade